Nubank vai entrar na Bolsa de Valores; clientes vão ganhar "pedacinhos" de ações


O Nubank nasceu com uma missão: acabar com a complexidade do sistema financeiro e devolver às pessoas o controle sobre seu dinheiro. Desde sempre, havia a certeza de que era possível criar uma instituição financeira a favor das pessoas, sem tarifas abusivas e com um atendimento humano.

Foram oito anos (até agora) criando produtos que ajudassem a fazer a diferença na vida das pessoas: começou com um cartão de crédito sem anuidade, veio uma conta digital livre de tarifas abusivas, empréstimo pessoal transparente, compra de uma plataforma digital de investimentos (agora chamada Nu Invest) e muito mais.

Agora, chegou a hora de um novo passo nessa jornada: chegou o momento do IPO do Nubank, a entrada oficial da empresa na Bolsa de Valores.

Entrar na Bolsa de Valores nunca foi um objetivo em si, mas sim, uma forma de aumentar o impacto que o Nu poderia ter na vida das pessoas.

A Nu Invest, plataforma 100% focada em investimentos do Nubank, é a corretora responsável pela distribuição de BDRs do Nubank na Bolsa de Valores – os títulos que representam ações do Nu aqui no Brasil.

Transparência é um dos principais valores de todo o grupo Nu e, por isso, a Nu Invest responde algumas das principais dúvidas sobre o IPO do Nubank logo abaixo.

Aqui você encontra também o prospecto, um documento jurídico com dados relevantes para o IPO. A leitura dele é recomendada, mas algumas informações relevantes estão resumidas e explicadas aqui neste post.

A seguir, respondemos algumas das principais dúvidas sobre o IPO do Nubank.

O que é um IPO? Como funciona?

IPO é a sigla para Initial Public Offering (ou oferta pública inicial, em português). De forma simplificada, é o processo para uma empresa entrar na Bolsa de Valores.

Entrar na Bolsa significa que a empresa passa a ser uma companhia de capital aberto, com ações que podem ser compradas e vendidas por investidores. Quem compra ações (ou seja, investe) se torna sócio da empresa, ou seu acionista.

Em outras palavras: ao fazer IPO, o Nubank está ofertando parte do seu capital para novos investidores. Isso se faz através da venda de ações e de um outro tipo de ativo, os BDRs (entenda eles aqui).

Esse universo pode ser um pouco complexo, e se informar sobre ele é muito importante antes de tomar qualquer decisão com seu dinheiro. Você pode acessar a Central da Bolsa para consumir textos e vídeos que explicam o universo de ações de uma forma mais simples.

Por que o Nubank vai fazer um IPO?

Fazer o IPO do Nubank é uma forma de ampliar ainda mais a atuação e o impacto na vida dos clientes, através da captação de recursos de novos investidores. Em outras palavras, o Nubank vai vender pequenos pedaços da empresa para quem tenha interesse em se tornar investidor.

O objetivo do Nu sempre foi, e continuará sendo, ajudar as pessoas a retomarem o controle sobre seu dinheiro. Ao entrar na Bolsa de Valores, o Nubank está abrindo parte do seu capital para que novos investidores se tornem acionistas. Isso pode viabilizar projetos para tornar o Nu cada vez mais completo.

Quem é quem no IPO do Nubank?

Existem diversas instituições e nomenclaturas específicas do IPO. Entenda o que são as principais delas:

  • Nu Holdings Ltd.: uma holding, em linhas gerais, é uma empresa que administra outras empresas do mesmo grupo e detém a maior parte das ações ordinárias delas. A Nu Holdings é a empresa líder dos vários outros Nus (Nubank Brasil, Nu Colômbia, Nu México, Nu Invest…). O IPO do Nubank é, na verdade, o IPO da Nu Holdings.
  • Nu Invest: Nu Invest é a corretora responsável pela distribuição dos produtos do Nubank negociados na Bolsa de Valores. Ou seja, durante o IPO, a Nu Invest é a empresa que pode oferecer no Brasil os BDRs da Nu Holdings para compra.
  • NYSE: sigla para New York Stock Exchange, é a Bolsa de Valores de Nova York, onde a Nu Holdings vai abrir seu capital. Isso significa que, nos Estados Unidos, as ações do Nubank serão compradas e vendidas na NYSE.
  • B3: é a Bolsa de Valores brasileira, onde o Nubank também abrirá capital – um processo chamado de dupla listagem, como explicamos logo abaixo. Isso significa que será possível investir no Nubank na Bolsa brasileira. Na B3, serão negociados BDRs, que representam uma fração da ação negociada nos Estados Unidos. 

A seguir, entenda por que o Nubank vai fazer a dupla listagem – ou seja, abrir o capital tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil.

Por que o Nubank vai lançar ações fora do Brasil?

O Nubank nasceu no Brasil, mas a missão de democratizar os serviços financeiros sempre foi bem além das fronteiras geográficas. Hoje, já tem clientes no México e na Colômbia, além de escritórios também na Argentina, Estados Unidos e na Alemanha.

Por isso, fazia sentido que o IPO também fosse global. Foi escolhida a New York Stock Exchange (NYSE), considerada a maior Bolsa de Valores do mundo, para fazer essa estreia. As ações da Nu Holdings serão negociadas por lá.

No entanto, é impossível deixar de reconhecer a importância do Brasil na empresa que o Nubank é hoje. O Nu nasceu aqui, identificou os problemas que queria combater no setor financeiro do país e, hoje, são mais de 40 milhões de brasileiros que confiaram no Nubank para cuidar do seu dinheiro.

Por isso, foi decidido fazer algo chamado de dupla listagem: estrear não só na NYSE, mas também na B3, a Bolsa de Valores brasileira.

Isso significa que pessoas brasileiras que desejarem investir no Nubank poderão fazer isso aqui no Brasil mesmo, por meio de um produto financeiro chamado BDR (sigla para Brazilian Depositary Receipts).

BDRs são um tipo de ativo que se comporta da mesma forma que ações – eles sobem e descem de preço conforme as oscilações do mercado e a oferta e demanda. Basicamente, eles representam na Bolsa brasileira as ações de uma empresa listada em uma Bolsa estrangeira.

Ou seja, os BDRs permitirão que as pessoas possam investir no Nubank sem precisar de uma conta em uma corretora estrangeira. No caso do Nu, cada BDR representará uma fração a ser definida de cada ação.

É muito importante lembrar que investir em ações ou BDRs envolve risco. A Bolsa de Valores oscila e, assim como há oportunidades de ganhar dinheiro com seus investimentos, também existe sempre a possibilidade de perder.

As corretoras de valores aplicam um teste para saber seu perfil de investidor e sinalizar se esta é uma aplicação indicada para você. Respeitar esse perfil é muito importante, já que ele te ajuda a entender se o produto é adequado para a sua situação financeira atual.

NuSócios: o que é o pedacinho que o Nubank vai oferecer para os clientes?

Uma coisa que sempre foi clara é que o Nubank não foi feito apenas por seus fundadores e funcionários. A empresa é o que é graças aos seus milhões de clientes. Por isso, havia o desejo de encontrar uma forma de reconhecer o papel essencial das pessoas que participaram dessa jornada.

Assim nasceu o NuSócios, um programa que vai oferecer milhões de pedacinhos do Nubank para os clientes – sem custo algum. Os pedacinhos começarão a ser oferecidos no dia 9 de novembro de 2021 através do aplicativo do Nu.

Cada um desses pedacinhos é um BDR, que estimamos vai representar 1/6  de uma ação ordinária classe A da Nu Holdings, empresa líder do grupo Nubank. Esse valor vai ser confirmado ao final do IPO. As pessoas que aceitarem seus pedacinhos poderão decidir o que fazer com eles após 12 meses – seja vendê-lo no mercado ou continuar donas dele.

Mas esse pedacinho é muito mais do que uma parcela de uma futura ação: é sobre convidar as pessoas a virarem sócias do Nu. Ele é uma chance de entrar no universo da Bolsa de Valores com a pontinha do pé, sem ter que desembolsar nada por isso. E, a partir daí, entender mais sobre investimentos como um todo.

Essa iniciativa tem o potencial de multiplicar em dezenas de vezes o número de brasileiros com acesso à Bolsa de Valores.

Nestes 12 meses, a intenção é que as pessoas consumam os conteúdos financeiros do Nu, se familiarizem com o mundo de investimentos e que possam, com todas as informações disponíveis, tomar as melhores decisões para o seu futuro.

O convite para aceitar o pedacinho será oferecido pelo aplicativo do Nubank. Para aceitar, basta seguir as instruções por lá a partir de 9 de novembro.

Importante: o Nubank quer permitir que o maior número possível de clientes se tornem sócios. Para isso, existem algumas condições:

É preciso ser um cliente ativo, ter uma conta do Nubank que não esteja bloqueada para transações, não estar inadimplente por mais de oito dias corridos e ter realizado ou recebido pelo menos uma operação em qualquer produto do Nubank nos últimos 30 dias antes de aderir ao programa. Esses produtos são do Nubank, e não Nu Invest. 

Mesmo atendendo a essas condições, existe um limite máximo de pedacinhos disponíveis. Existe a possibilidade de esse limite ser atingido antes que todos que têm interesse possam aderir.

Por isso, o convite para aceitar o pedacinho só estará disponível até o limite ser atingido. Quem quiser aceitar deverá seguir o passo a passo no aplicativo a partir do dia 9 de novembro.

Tags

buttons=(Aceito) days=(20)

Este site usa cookies do Google para personalizar anúncios e analisar o tráfego. Isso é feito para garantir que você tenha a melhor experiência possível ao acessa-lo. Saiba mais
Accept !